loader
Em Grande Expediente, policiais civis criticam pacote da reforma estrutural do Estado

Em Grande Expediente, policiais civis criticam pacote da reforma estrutural do Estado

Grande Expediente realizado pelo vereador Juares Hoy (PTB) na sessão desta terça-feira (19/11) abordou o pacote da reforma estrutural do Estado e o impacto das propostas para os servidores da Polícia Civil. O conjunto de medidas, com mudanças nas carreiras e na previdência do funcionalismo público, provocou mobilização da categoria, que busca pressionar o governo e os deputados estaduais e derrubar os pontos que atingem os policiais civis.

Em sua fala, Juares Hoy lamentou o momento difícil pelo qual passa a Polícia Civil gaúcha. A reforma estrutural, em tramitação na Assembleia Legislativa, é composta por uma proposta de emenda constitucional, um projeto de lei e seis projetos de lei complementares.

As críticas da categoria estão relacionadas, principalmente, a medidas como o aumento das alíquotas de contribuição de ativos e inativos, o fim das promoções periódicas e o não reconhecimento da paridade e da integralidade aos policiais que ingressaram após 2015. "Não estão nos respeitando como homens e mulheres. Estamos sendo tratados como números e um custo para o Estado", criticou o secretário geral do Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores da Polícia Civil do RS (Ugeirm), Pablo Mesquita. O delegado Rodrigo Caldas, da 2ª DPRM, também lamentou o tratamento dispensado aos policiais e acrescentou que a classe está buscando o caminho do diálogo para reverter a situação. O Grande Expediente também contou com a presença do delegado Eduardo de Azeredo Coutinho, da DPPA Canoas, e de Edgar Guilherme da Costa Filho, da direção da Ugeirm.