loader
Sindicato dos Rodoviários manifesta preocupação com licitação do transporte coletivo

Sindicato dos Rodoviários manifesta preocupação com licitação do transporte coletivo

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Canoas (Sitrocan) e funcionários da Sogal estiveram, nesta terça-feira, 18, na Câmara Municipal. Durante a sessão ordinária, a categoria manifestou preocupação com o início da licitação do transporte coletivo anunciado pela Prefeitura.

O presidente do Sitrocan, Marcelo de Oliveira Nunes, afirmou que o anúncio da licitação causou apreensão entre os trabalhadores, pois não há garantia da manutenção dos empregos. Também existe a preocupação com o pagamento de indenizações aos cerca de 900 funcionários.

O presidente da Câmara, vereador Cezar Mossini (MDB), lembrou que existe na Casa uma comissão especial criada para discutir o tema no transporte público com a sociedade. O parlamentar salientou ainda que a preocupação dos trabalhadores também é dos vereadores.

Os parlamentares abordaram o assunto no espaço dedicado às Comunicações de Lideranças e manifestaram o apoio aos trabalhadores. César Augusto (PRB) citou o início do plano de mobilidade do município, no qual a empresa contratada irá apresentar um norte para a realização da licitação do transporte coletivo. Ao lembrar que o contrato com a Sogal se encerra daqui alguns meses, avaliou que a renovação por mais um ano comprometeria o futuro da empresa e dos funcionários. José Carlos Patricio (PSD) declarou o compromisso do Legislativo com os trabalhadores e as suas famílias. Segundo Linck (MDB), a comissão especial pretende realizar reunião com o prefeito para debater o assunto.

O vereador Aloisio Bamberg (PCdoB) defendeu que é preciso analisar qual o melhor caminho a seguir, se uma nova licitação ou realizar uma pesquisa na cidade sobre a possibilidade de renovação do contrato. Sargento Santana (PTB) declarou que os trabalhadores é que estão mantendo a empresa de pé. "Queremos que a empresa cumpra as suas obrigações", afirmou. Juares Hoy (PTB) salientou que a Sogal enfrenta problemas com a opinião pública, que vem apontando problemas no serviço prestado. Para ele, porém, a tendência é de que não haja empresas interessadas na licitação em função do investimento necessário. Canhoto (SD) manifestou apoio aos trabalhadores, e Cris Moraes (PV) ponderou que impasse entre uma nova licitação e a renovação do contrato poderia ter sido evitado se medidas tivessem sido adotadas anteriormente para melhorar o serviço prestado pela empresa. DJ Cabeção (PDT) citou as reclamações dos usuários apresentadas nas audiências públicas realizadas pela comissão especial: "Os problemas da empresa fazem com que a opinião pública seja contra a permanência da empresa na cidade".

Presidente da comissão especial do transporte público, o vereador Alexandre Gonçalves (PPS) sugeriu a realização de uma reunião com o Sitrocan na próxima semana. Salientou ainda que o serviço da Sogal deverá apresentar uma melhora após o lançamento de aplicativo voltado aos usuários. Emilio Neto (PT) declarou o apoio à licitação, mas enfatizou que a bancada irá trabalhar para que os trabalhadores tenham os seus direitos garantidos.