loader

Sessão ordinária de 23/03 – requerimentos aprovados e pronunciamentos

Requerimento nº 38/2016, de autoria do vereador Airton Souza (PP). Solicita espaço no Grande Expediente, em data a ser aprazada, para prestar homenagem à Paróquia Sagrado Coração de Jesus, pela passagem dos seus 40 anos em Canoas.

Requerimento nº 39/2016, de autoria do vereador Paulinho de Odé (PT). Congratula a Escola de Samba Acadêmicos de Niterói e a Escola de Samba Nenê da Harmonia pela conquista do 1º lugar, respectivamente, no Grupo Especial e Grupo de Acesso do Carnaval na Paz 2016.

Requerimento nº 40/2016, de autoria do vereador Airton Souza (PP). Votos de pesar pelo falecimento da Sra. Antônia da Silva, ocorrido no dia 14 de março de 2016.

INDICAÇÕES

Indicação nº 41/2016, de autoria do vereador Ivo Fiorotti (PT). Solicita à AES Sul a colocação de separador nos fios de alta tensão na rede elétrica localizada na Rua Felipe Camarão, no Loteamento São Luiz, no bairro Rio Branco.

Indicação nº 42/2016, de autoria do vereador Francisco da Mensagem (PSB). Solicita à AES Sul a troca de poste situado na rua Paraiso, em frente ao número 20, no bairro Guajuviras.

Indicação nº 43/2016, de autoria do vereador Francisco da Mensagem (PSB). Solicita à AES Sul a troca de poste situado na rua Paraiso, em frente ao número 03, no bairro Guajuviras.

Indicação nº 44/2016, de autoria do vereador José Carlos Patricio (PSD). Solicita à AES Sul a substituição do poste localizado em via pública, na Rua Paraná, próximo ao número 249, no bairro Niterói.

PRONUNCIAMENTOS

CRISE – O cenário da política nacional voltou a ser tema de pronunciamentos dos vereadores. Juares Hoy (PTB) criticou a decisão do ministro Teori Zavascki de solicitar que as investigações contra o ex-presidente Lula na operação Lava-Jato fossem remetidas ao Supremo Tribunal Federal (STF). "O Lula é, hoje, um cidadão comum, não existe foro privilegiado para ex-presidente e o telefone grampeado era o dele, não o da presidente Dilma”, ressaltou. Hoy enfatizou ainda que a posse de Lula como ministro da Casa Civil tinha apenas o objetivo de evitar a prisão do ex-presidente.

O presidente da Câmara, vereador Paulo Ritter (PT), também fez uso da tribuna para comentar o assunto. "O juiz Sérgio Moro quebrou um preceito constitucional. É cinismo dizer que quem estava sendo gravado era o ex-presidente Lula, não a presidenta Dilma", avaliou. O parlamentar disse ainda que a decisão do STF fez com que o grau de civilidade voltasse ao normal no país. "Quem errou que pague, mas que sejam todos. A hipocrisia está com os dias contados no país”, salientou.

O vereador Emilio Neto (PT) criticou o vazamento das interceptações telefônicas, lembrando que algumas continham conteúdo particular. "Esse juiz precisa ser punido por seus atos. Ele está destruindo tudo o que foi conquistado ao longo da história da democracia no Brasil", frisou. Sobre a divulgação de lista da empresa Odebrecht com o apontamento de repasses a políticos, na qual consta o nome do prefeito Jairo Jorge, Emilio comentou que o valor corresponde a doação de campanha e que consta na prestação de contas já aprovada pela Justiça Eleitoral, sem ressalvas.

O vereador Ivo Fiorotti (PT) classificou como "prática esquizofrênica" a conduta do juiz federal Sérgio Moro em relação ao documento da Odebrecht. "Primeiro ele permitiu a divulgação das informações e, depois, restabeleceu o sigilo sobre os documentos", ponderou.

VETO – O vereador Juares Hoy também se manifestou durante a votação do PL 77/2015, que trata da instalação de semáforos sonoros na cidade, de autoria do vereador Patricio (PSD). Hoy lembrou que, em 2011, apresentou a mesma proposição, que acabou vetada pelo prefeito.